Poética



Fernando Pessoa: Autopsicografia



O poeta é um fingidor. /Finge tão completamente/ Que chega a fingir que é dor/ A dor que deveras sente.